JOÃO BOBO | LENORA DE BARROS

Você conhece o brinquedo chamado joão bobo? De bobo ele não tem nada! Mesmo recebendo pancadas, continua sempre em pé. Quer ver como é? Assista o vídeo, inspire-se para fazer o seu e divirta-se!

LISTA DE MATERIAIS: tesoura, bexiga, moeda, fita adesiva e material para customizar, como fitas coloridas, papel e canetinha.




Resiste, 2020


"O boneco João Bobo, também conhecido como João Teimoso, foi um brinquedo e personagem bastante presente na minha infância, e na de muitas gerações. Eu gostava de conversar com ele, brincar, e pra mim, ele não tinha nada de bobo. Dávamos boas risadas juntos, principalmente quando eu dava um empurrãozinho nele, ele se movimentava pra trás, e voltava a ficar em pé, me olhando, feliz com o seu reencontro com o equilíbrio."


*


Lenora da Barros (São Paulo, Brasil, 1953 | Vive e trabalha em São Paulo, Brasil)

Lenora de Barros é formada em Linguística pela USP e iniciou sua trajetória artística na década de 1970, época de intenso experimentalismo na arte brasileira, marcada por uma forte tendência construtiva e vanguardista desde os anos 50. As primeiras obras criadas por Lenora podem ser colocadas no campo da ‘poesia visual’ a partir do movimento da poesia concreta da década de 1950. Palavras e imagens foram os seus materiais iniciais.

Em 1983, LB publicou o livro Onde Se Vê, um conjunto de “poemas” bastante incomuns. Alguns deles dispensaram o uso de palavras, construídos como sequências fotográficas, onde a própria artista representava diferentes personagens em atos performáticos. Este livro já anunciava o trânsito de Lenora de Barros para o campo das artes visuais, o que acabou por acontecer. Desde então, a artista segue seu caminho pessoal, marcado pelo uso de diversas linguagens: vídeo, performance, fotografia, instalação sonora e construção de objetos.

Entre as recentes exposições e atividades destacam-se a exposição individual Wanted, Galerie Georg Kargl, Viena, Austria, 2019; Pisa na Paúra, Galeria Millan, São Paulo, 2017; ISSOÉOSSODISSO, Paço das Artes, São Paulo, Brasil, 2016; Umas e Outras, PIVÔ, São Paulo, 2014. Sua obra faz parte de coleções públicas e particulares: Hammer Museum, Los Angeles, EUA, Museu d’Art Contemporani de Barcelona, Daros-Latinamerica, Zurique, MAM-SP e Pinacoteca de São Paulo.






114 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo